IMPERIUS CASSIUS – BIENAL DO LIVRO, VERTIGO E MSP 50

BIENALHoje é dia de falar de muitas coisas que aconteceram no mundo dos quadrinhos nas últimas semanas. Fui a Bienal do Rio de Janeiro e, como sempre acontece, fiquei atordoado pela quantidade de lançamentos e coisas legais (livros) que vi por lá. Fico até chateado de saber que nunca conseguirei ler 1% de tudo que tem lá. Mas a Bienal é “o evento” para quem gosta de ler e todos deveriam ir e conhecer, se não pode este ano, faça um esforço e tente aparecer algum dia.

Os estandes da Comix e da Panini estão bem legais, com bom tamanho e bons preços. A Comix tem descontos variáveis e a Panini, como sempre faz em eventos, vende tudo com 20% de desconto, que é uma ótima pedida. E há dois grandes destaques no estande da Panini: seus primeiros álbuns da linha Vertigo e o álbum MSP 50.

MSP50O MSP 50 é um livro especialíssimo do Mauricio de Souza que trás 50 artistas nacionais reinventando personagens da turminha em histórias curtas. Tem Laerte, Ziraldo, os gêmeos Moon e Bá, Ivan Reis, Érica Awano, Fabio Yabu e muitos outros. E falando no criador do Combo Rangers, a trama futurística dele, bem ao estilo “Dias de um Futuro Esquecido” é uma das melhores do álbum. Outra incrível é a de Rafael Sica e seu louco muito louco.

Muitos artistas resolveram usar o Astronauta,mas toda a turma aparece no álbum, inclusive o Chico Bento, e uma história que fez o próprio Mauricio e outros que leram o álbum chorarem. O resultado é simplesmente sensacional, este é com certeza um dos maiores lançamentos de HQ do ano no Brasil. São 192 páginas em duas versões, capa mole e dura.

Já os álbuns do selo Vertigo ainda não estavam a venda quando passei por lá. Mas fiquei contente em saber que a Panini iria lançar Vertigo e Wildstorm no Brasil, pois tem muito material legal e os leitores brasileiros merecem ler tudo. Torço para que muita coisa seja publicada.

A revista mix já anunciada parece ter um mix bem forte. Hellblazer é sempre bom, só estou curioso para saber de onde eles começaram a publicar. Scalped e Northlanders são séries novas de muito sucesso lá fora e que gosto muito. Sandman Apresenta: Thessaliad era a próxima trama que entraria na revista Fábulas Pixel, quando acabasse “As Fúrias”. E Lugar Nenhum é baseado em um livro de Mr. Neil Gaiman, ou seja, boa história também. É um mix que tem tudo pra dar certo, eu vou comprar e recomendo.

Já sobre Y e DMZ saírem em álbuns, também acho interessante, só não gosto quando os álbuns são com um luxo (e preço) excessivos, que não precisava. Estes dois, por exemplo, não acho que precisem de capa dura nem nada assim. Mas garanto que as tramas dos dois só melhoram ao longo do tempo, também recomendo fortemente. A única ressalva que faço é que eu não teria mudado DMZ para ZMD, mas não é nada grave também.

Uma das coisas mais difíceis para mim, o André Forastieri e o Odair Braz Jr. foi decidir o que lançaríamos e como lançaríamos os materiais, por isso entendo perfeitamente as escolhas que a Panini está tendo que fazer. Vamos dar um desconto galera.

Voltando a Bienal, haviam ainda os estandes da Devir, que estava bem menor do que em anos anteriores, mas com seus lançamentos e algumas boas ofertas, e o da JBC, que está lançando o ótimo mangá Ranma ½, que teve o seu começo já publicado no Brasil mas mal e porcamente, por isso vale a pena dar uma olhada na edição da JBC porque esta é uma história muito bacana. Além disso, a JBC também vende pacotes com séries que já saíram inteiras com preços bem legais.

Encerro insistindo para que, se puder, vá a uma Bienal, vá a eventos de livros e HQs, troque idéias mas, principalmente, leia, leia muito, tudo que puder e mais, incentive amigos e conhecidos a ler. A leitura é uma das coisas mais importantes para a nossa formação cultural e o nosso país tem um potencial enorme ainda porque muito pouca gente lê por aqui.

Sugestão de Leitura: Hoje só vou reforçar o que já disse no texto. Leia o MSP 50. Leia Ranma ½, leia a nova revista Vertigo da Panini quando ela sair. E como falamos em livros, leia tudo que puder do Bernard Corwell, um dos meus escritores preferidos e que esteve na Bienal lançando um novo livro, o Azincout, que já está na minha pilha de leitura.

Evento: Acontece neste sábado, 19 de setembro, em SP, o IV Seminário de Pesquisa em Histórias em Quadrinhos – Os Quadrinhos e a Universidade. O evento será das 8h30 às 18h , a entrada é gratuita e será no campus Liberdade da Unicsul (Rua Galvão Bueno, 868, Liberdade, São Paulo).

Um comentário em “IMPERIUS CASSIUS – BIENAL DO LIVRO, VERTIGO E MSP 50

  • 18 de setembro de 2009 em 19:02
    Permalink

    Valeu seu Cassius!! E teve gente achando que eu ia matar a Mônica!! Eu lá vou mexer com a filha do homi??? 😀

    abração!!

    Resposta
  • 20 de setembro de 2009 em 01:21
    Permalink

    Ótima coluna Cassius, acredito q a Bienal deve ser uma evento extraordinario e q todos q gostão de leitura devia participar em alguma fase da vida, algo como peregrinar para Meca pelo menos uma vez na vida para os islâmicos. Essa Bienal eu gostaria de ir em especial principalmente pela participação do escritor Bernard Corwell q passaei também a admirar depois de seguir sua sugestão e ler a trilogia Excalibur, gostaria também que vc indicasse outros livros do autor q são realmente ótimos. E por fim só p frisar como eu fazia na falecia Pixel vou acompanhar todos os lançamentos vertigo/wildstorm. Um abraço fraternal e continue com esse excelente trabalho.

    Resposta
  • 20 de setembro de 2009 em 18:18
    Permalink

    Poxa, eu sempre quis ir na Bienal do Livro no Rio, mas ainda não consegui! Moro em Macaé, só são 3 horas de viagem até o Rio, e mesmo assim não pude ir… Uma pena. Nossa eu lá na Bienal ia fazer a festa comprando Mangás e outros livros… Hehe. Vou ter que deixar pra ir em 2011 mesmo.

    Resposta
  • 22 de setembro de 2009 em 07:30
    Permalink

    Valeu Yabu, claro que vc jamais mexeria com a filha do homi, hahaha.

    Falls, a outra trilogia do Cornwell, A Busca do Graal é muito boa tb. E os livros do Sharpe também são bem bacanas e podem ser lidos separadamente.

    Paciencia, Adrielle, vai se programando desde já para não perder a próxima Bienal, é um evento realmente sensacional.

    abraços a todos o obrigado pelos comentários.
    Cassius

    Resposta
  • 22 de setembro de 2009 em 08:29
    Permalink

    Assim como a Adrielle, também nunca fui à Bienal do RJ, mas tive o prazer de ir duas vezes à Feira do Livro de Porto Alegre e a um feira internacional na PUC (RS), sem contar o FIQ, que fui em 2007 e vou repetir a dose em 2009. Concordo com o Cassius, quem curte ler (seja romances ou quadrinhos) deve ir a algum evento desses pelo menos uma vez na vida. A troca de ideias e histórias com outros colecionadores, com os artistas, a oportunidade de conhecer mais de perto o trabalho de alguém que você admira, de comprar livros e HQs com desconto, tudo isso é bacana.

    OBS: espero te encontrar novamente do FIQ, Cassius!

    Resposta
  • 22 de setembro de 2009 em 17:49
    Permalink

    Cassius,

    Por acaso, essa história do Chico Bento que fez esse pessoal chorar foi a da Erica Awano, sobre maternidade ou a do Vitor Caffagi sobre o Chico Bento e a Rosinha? Não importa essas duas estão entre as minhas preferidas desse livro.

    Resposta
  • 24 de setembro de 2009 em 08:30
    Permalink

    Oi Ricardo, a que fez a galera chorar foi a historia do Vitor. Mas vc tem razão, todas as historias são legais

    abraço.

    Resposta
  • 20 de janeiro de 2010 em 09:59
    Permalink

    Alguém sabe onde posso encontrar essa história do Chico Bento escrita pelo Caffagi?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: