ZUMBI – O LIVRO DOS MORTOS – Conexão Comix

ZUMBI – O LIVRO DOS MORTOS

Um banquete para seu cérebro. Ou seria o contrário? Eles comem carne humana. Transformam você com uma simples mordida. E a única maneira de matá-los é perfurando suas cabeças. Mas se isso é tudo o que você sabe sobre os mortos-vivos, é melhor ler Zumbis: O Livro dos Mortos, de Jamie Russell.

Através da mais completa análise de filmes do gênero, você vai entender melhor por que essas repugnantes criaturas fazem tanto sucesso nos cinemas desde 1932.

De Ed Wood a George A. Romero, do sangue de catchup às verdadeiras obras primas, os zumbis têm servido de metáforas para temas como escravidão, racismo, guerra fria, paranoia nuclear, desemprego, aids, consumismo, intolerância. E nem por isso deixaram de ser divertidos. E muito, muito sinistros.
Biografia

Jamie Russell nasceu nos Estados Unidos, em 1974, e se apaixonou por zumbis ainda na adolescência, nos anos 1980. Zumbis: O Livro dos Mortos é o livro que ele sempre quis ler, feito por um grande fã dos mortos-vivos para aficionados, vivos ou mortos. Russell começou a pesquisar oficialmente sobre o tema no ano 2000, tendo publicado em 2005 a primeira edição de Zumbis: The Book of the Dead. Para ele, os zumbis sempre foram usados como metáfora para diferentes medos em diferentes épocas.

“Os zumbis são a massa plebeia do cinema de terror, criaturas sem alma que perambulam sem personalidade nem propósito – uma paródia grotesca do fim que aguarda a nós todos.”

A edição brasileira, traduzida por Érico Assis e Marcelo Andreani de Almeida, vem acompanhada por um capítulo atualizado por Antônio Tibau – amante do gênero –, que incluiu no livro a produção brazuca morta-viva. O projeto gráfico é da Retina 78 e foto da capa por Leandro Pagliaro. Agradecemos a Fabrício Pimentel que nos cedeu, gentilmente, a sua mão

clicando aqui você compra  Zumbi – O Livro dos Mortos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: