Filmes de HQ dominam o cinema (ou Como Viramos Chatos de Galocha)

Nos últimos dez anos temos presenciado os filmes baseados em histórias em quadrinhos invadirem o cinema. Hollywood descobriu o filão e apostou em Homem-Aranha, Batman, Superman, Scott Pilgrim, O Procurado, Kick Ass, Dragon Ball e muitos outros que têm feito a alegria e também gerado muito polêmica entre os fãs.

Leio quadrinhos desde pequeno (década de 70) e sou de um tempo que tudo o que queria ver eram os meus personagens preferidos em outras mídias. Filme do Super-Homem com Christopher Reeve? Maravilhoso, uma das melhores adaptações que já vi, mas era uma exceção, então qualquer coisa valia: o seriado do Batman do Adam West, o seriado do Hulk, desenhos animados antigos do Capitão América, Thor, Homem de Ferro e depois os mais “novos” X-Men e Homem Aranha. Apesar de não serem grande coisa, todos eram degustados como iguarias.

Todos esperamos o Batman do Tim Burton com ansiedade e nos decepcionamos pela mitologia adotada não ser igualzinha a das HQs. E quando os outros filmes do Batman foram saindo, fomos vendo que o primeiro não era tão ruim assim. E então vieram os X-Men e o Homem-Aranha, dois bons filmes e então a porteira foi aberta para a enxurrada de coisas que veio depois.

E com tantas opções, boas ou ruins, passamos a ficar muito mais exigentes que antes. Se o filme não for super fiel não é grande coisa. Mas 100% fiel também não é bom, tem que ter um certo twist. Efeitos ruins? Ah, que porcaria de filme. Efeitos demais? Um lixo também. O que, tem humor no filme? Não pode.

O patrulhamento de nós fãs já ocorre desde a escolha dos atores, o lançamento das primeiras imagens, trailers, e quase sempre achando que não será bom. Já ouvi muitas críticas ao vindouro filme do Lanterna Verde por conta de muitos efeitos especiais, mas como é possível fazer um filme desses sem (ou com pouco efeito)? Já ouvi que Homem De Ferro 2 era médio por ser mais do mesmo. Todos estão com o pé atrás com X-Men First Class, mas o primeiro teaser que saiu é bem legal.

Gostaria de saber quando paramos de ficar contentes por ver nossos personagens na telona e passamos a querer resultados utópicos. É claro que não dá para defender um Mulher Gato ou Electra, mas parece que estamos nos esquecendo que cinema é diversão, uma história bem contada, e isso temos aos montes nos filmes que estão saindo.  Parece que nos esquecemos  que não existe apenas o ótimo e o péssimo, que tem o bom, o médio e várias nuances entre uma coisa e outra. E é claro também que gosto é subjetivo e cada um tem o seu, mas o que vejo é um certo exagero crítico da nossa parte, os fãs. Nada parece estar bom.

Na época que o Batman do Tim Burton saiu eu vi na estreia e não gostei. Hoje entendo porque foi feito daquele jeito e gosto do filme. Acho simplesmente sensacional a Marvel estar fazendo filmes interligados de seus personagens para lança-los nos Vingadores depois. É tudo o que um fã pode sonhar. Estou louco pra ver o Lanterna Verde, pois acho que será um baita filme. E é incrível terem feito um filme de Watchmen e que foi bem parecido com o original. Me diverti muito no cinema.

E é esse o ponto, caro leitor. Que tal tentarmos ser menos ranzinzas e aproveitar mais o momento espetacular que vivemos com nossos personagens queridos dominando os cinemas, cheios de desenhos animados e games? Eu tenho feito isso há algum tempo e recomendo.

Sugestão de leitura: Naruto. Isso mesmo, hoje recomendo o mangá Naruto que continua muito bom. O autor não para de deixar a trama mais complexa enquanto surgem novos personagens e os antigos têm uma evolução muito interessante. Se você gostava de Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco e One Piece, vai curtir Naruto também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: