Demolidor Vol.1 / Resenha

Por leospy, do site parceiro Quadrim.

Há mais de 10 anos que o Demolidor é o personagem mais regular da Marvel, sofrendo pouco com os contínuos crossovers e destruições de Nova York. Trata-se de uma fase de ouro, nem sempre percebida pelo grande público, fazendo jus ao vigilante alçado ao sucesso por Frank Miller na década de 1980. Desde Kevin Smith e Joe Quesada (antes de virar editor-chefe), passando por David Mack, os quatro anos de Brian Michael Bendis e Alex Maleev, até os três anos de Ed Brubaker e Michael Lark, o Homem Sem Medo teve ótimas equipes criativas que puderam desenvolver cada vez mais seus poderes e vida pessoal. Matt Murdock chegou a se casar e ter sua identidade como vigilante divulgada ao público. Agora chegou a vez dos brasileiros conferirem mais uma fase muito elogiada, escrita pelo experiente Mark Waid e desenhada por Paolo Rivera.

E o que sobrou para ser mostrado por um escritor especialista em super-heróis? O lado heroico do Demolidor, claro.

Depois de enfrentar a máfia, ninjas em profusão e todo o submundo do crime da maior metrópole do mundo, Matt Murdock agora luta contra super-vilões. Claro que Coruja, Mercenário e Rei do Crime sempre estiveram pela Cozinha do Inferno, mas eles estão mais ligados ao crime organizado do que às organizações de uniformes coloridos. Hidra, I.M.A., Colméia, entre outras, cruzam seu caminho. E aparece até o engraçado e subestimado Brutamontes.

 

demolidor_brutamontes

 

 

Com a participação especial de um certo Vingador e o confronto com o Garra Sônica, este volume reúne as 6 primeiras edições escritas por Waid. O Demolidor definitivamente é mostrado como um super-herói e o radar seu superpoder. Um dos maiores elogios feitos aos desenhos de Rivera, a visualização do radar de Murdock substituindo sua visão, tem grande destaque tanto nas lutas quanto no dia a dia do advogado.

A maior mudança na vida civil do personagem nas novas histórias é consequência das fases anteriores. Depois de ter a identidade exposta como Demolidor, o advogado Matt Murdock perdeu a credibilidade nos tribunais. Assim, seu escritório com o amigo Foggy Nelson passa a assessorar réus para se defenderem sozinhos. Essa é a porta de entrada para que os mais variados casos surjam rendendo boas histórias. Mas acima de tudo, Waid mostra Matt superando todos os problemas do passado como alguém cheio de humor e finalmente de bem com a vida que lhe restou. O personagem literalmente virou a página.

 

demolidor01acao

 

 

Não leve em consideração elogios exagerados às novas histórias do Demolidor, a expectativa pode ser alta demais. Principalmente se acompanhou nos últimos dez anos. Compre este encadernado para apreciar desenhos menos realistas (muito coloridos!) e ler uma perspectiva deixada de lado durante muito tempo que fazia falta. Acima de tudo, as histórias do Homem Sem Medo estão divertidas, o que toda HQ deveria ser.

 

demolidor1Você pode comprar Demolidor 01 no site da Comix.

Demolidor 01
Autores: Mark Waid (roteiro), Paolo Rivera, Marcos Martin e Joe Rivera (arte)
Editora: Marvel / Panini
148 páginas

Um comentário em “Demolidor Vol.1 / Resenha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: