[Resenha] Hermínia

Publicada originalmente no blog parceiro Impulso HQ


 

Moebius falando a respeito de quadrinhos diz “… acredito que ele exprime uma busca de nossos desejos mais profundos…”. Lendo a graphic novel Hermínia, lançamento de 2015 da Editora Mino, acredito que é exatamente isso que Diego Sanchez faz ao contar a história de Hermínia e Arcádio.

Segundo álbum do quadrinhista pela Editora Mino, Diego Sanchez traz uma evolução natural de seu trabalho e mantém as mesmas características de Perpetuum Mobile, narrativa caótica, experimental e uma diagramação mais formal.

herminia-diego-sanchez-02

Tudo parece despretensioso e banal, em cena, um relacionamento amoroso para tratar de amor, e um fluxo de consciência que é apresentada em uma longa conversa sobre a infância, o relacionamento e sobre o começo e o fim de todas as coisas.

Uma história de amor? Ficção cientifica? Viagem? Esoterismo? Um jogo? Ou tudo isso junto?

Um zumbido e uma misteriosa bruma engole os habitantes da cidade El Camino e todas as realidades se fundem e se desfazem, só restaram Hermínia e Arcádio e eles vão começar um jornada pelos altos dos prédios até uma casa no meio do nada.

Sanchez se utiliza de elementos fantásticos para tratar sobre relações humanas e a angústia das escolhas, temas recorrentes na obra do autor. O tom onírico dificulta a compreensão da trama e como enxergamos tudo pelos olhos de Arcádio, identificamos ao mesmo tempo que ele esse mundo esquisito e de uma beleza incrível. Essa beleza é amplificada pelo traço e pelo experimentalismo narrativo e imersivo da linguagem dos quadrinhos.

Com poucos diálogos e com um tamanho de página muito maior do que os seus dois trabalhos anteriores, Hermínia ressalta as principais qualidades do artista. Seu traço e a subjetividade de seu texto.

herminia-diego-sanchez-01

Hermínia é mais um bonito álbum da editora Mino, capa dura, efeito luminoso em verniz localizado, papel off-set de alta gramatura, e aquele toque de classe, impressão em apenas uma cor (magenta). A Mino mantém a sua postura de dar um tratamento de primeira para os autores independentes mais interessantes do quadrinho brasileiro da atualidade.

Ao ler a HQ de Diego Sanchez, me lembrei de um escritor francês cujo tema preferido era tempo. No Brasil só foi lançado um livro seu “O Passa-Paredes” da editora Francisco Alves:

“…e tenho a ilusão que o tempo se toca e que minha aventura cabe, inteira, num segundo elástico, monstruosamente distendido, mas que se estreita a ponto de nada mais ser, na verdade, do que um segundo.”, Marcel Aymé.

herminia-mino-diego-sanchezHermínia
Editora Mino
Autor: Diego Sanchez
Capa Dura
1 cor (magenta)
17 x 27 cm
88 páginas
R$ 44,00

COMPRE AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: